Início Delegacia Geral ASCOM

Foragido de Goiás é preso pela Polícia Civil do Amapá

E-mail Imprimir PDF

20170118 CopyHomem foi condenado há 18 anos de prisão por homicídio qualificado e levava vida normal em Macapá.

A Polícia Civil prendeu na manhã de segunda-feira, 16, Arnaldo Silva Martins, de 59 anos, foragido da Justiça de Goiás e capturado mediante o cumprimento de prisão preventiva no bairro Infraero II, na Zona Norte de Macapá.

A prisão foi feita por volta das 11 horas da manhã por policiais do Núcleo de Operações em Inteligência da Polícia Civil (NOI) e da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Pessoa (Decipe). A equipe recebeu a informação sobre o paradeiro de um possível foragido na cidade e montou um esquema para capturar o indivíduo.

De acordo com o delegado Ronaldo Coelho, titular da Decipe, Arnaldo Martins estava com o mandado de prisão preventiva da Comarca do Estado de Goiás, condenado a 18 anos de prisão por homicídio qualificado. Ele é acusado de ter cometido um assassinato ocorrido em Goiânia, em 1989. A vítima foi morta a facadas durante uma briga.

“Ele era foragido da justiça e estava morando em Macapá, construiu família e trabalhava como motaxista na cidade. Através do serviço de inteligência da Polícia Civil, descobrimos o paradeiro dele e conseguimos prendê-lo”, disse o delegado.

Segundo as investigações, Arnaldo Silva Martins, levava uma vida normal em Macapá, e usava o nome verdadeiro, mesmo tendo uma condenação por homicídio. Arnaldo foi encaminhado para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen), onde aguardará manifestação da justiça de goiana.


 

Notícias em destaques

No ultimo final de semana a Policia Civil de Oiapoque, deflagrou operação policial de combate ao tráfico de droga, onde foram cumpridos simultaneamente 14 mandados de busca e apreensão domiciliar. A operação foi denominada “cidade sem drogas” e contou com o apoio do Exercito Brasileiro, bem como do Canil da Policia Civil.

Leia mais...

Enquete

Qual o curso que você, policial, entende ser nescessário para aprimoramento profissional?