Início Delegacia Geral ASCOM

Polícia Civil procura homem suspeito de estuprar menina de 6 anos em Oiapoque

E-mail Imprimir PDF

A criança é neta da companheira do suspeito, que continua foragido da justiça.

A Polícia Civil do Amapá, em Oiapoque, distante a 590 quilômetros de Macapá, procura um homem identificado como Miguel Almeida, de 46 anos, suspeito de ter estuprado uma menina de apenas 6 anos de idade. A criança é neta da companheira do suspeito, que continua foragido da justiça.

Segundo o delegado titular de Oiapoque, Charles Corrêa, que investiga o caso, o crime estaria ocorrendo a cerca de 6 meses, na casa onde a criança morava com a avó e o suspeito, segundo relatos da criança, o homem abusava da menina todos os dias. Os abusos sexuais começaram quando a mãe da menor teria a deixado sob os cuidados da avó para trabalhar em um garimpo da região. O homem que é natural do Estado do Pará se evadiu da cidade, assim que soube que estava sendo investigado.

"A criança contou que era abusada todos os dias pelo suspeito. Exames médicos constataram que a menina foi vítima de violência sexual e pedimos a prisão preventiva do mesmo. A avó da menina é alcoólatra e sempre que saia para beber deixava a criança com ele. Fiz a difusão da foto do criminoso e espero que qualquer polícia o capture”, pontuou o delegado

De acordo com informações da polícia, após a denúncia a criança foi encaminhada para o hospital de emergência da cidade, e passou por exames, que constataram o abuso sexual. A mãe da criança foi informada e retornou para a cidade.

O homem não foi encontrado na residência da família, e é considerado foragido da justiça desde a última terça-feira, 29. Até esta publicação, a polícia não tinha informações sobre o paradeiro do suspeito.  

 

Notícias em destaques

A DEMA realizou, no dia 18.04.2017, no Rio Araguari, município de Porto Grande, uma operação de repressão a diversos crimes ambientais, entre os quais desmatamentos, queimadas e ocupações ilegais em APP.

Leia mais...

Enquete

Qual o curso que você, policial, entende ser nescessário para aprimoramento profissional?