Início Delegacia Geral ASCOM

Acusado de matar policial é detido em Santarém e recambiado para o Amapá

E-mail Imprimir PDF

20161113 1O jovem Cleber Pantoja de Lima, 22 anos, acusado de matar o sargento da Polícia Militar, Agenildo Quaresma Ferreira Junior, no dia 23 de outubro deste ano, foi recambiado nesta quinta-feira, 10, para o Amapá. Ele foi detido em Santarém (PA), após uma operação conjunta entre as polícias civis de ambos os Estados.

O acusado desembarcou escoltado por uma equipe da 1ª Delegacia de Polícia de Santana, por volta das 13h15, no Aeroporto Internacional de Macapá, em um vôo comercial. Cleber de Limar foi preso na última sexta-feira, 4.

20161113 2Segundo o delegado, Sandro Torrinha, titular da 1ª DP de Santana, que investiga o caso, o acusado estava com a prisão preventiva decretada e estava sendo monitorado por uma equipe de investigadores do Amapá. 

“Ele foi ouvido ainda em Santarém e trazido para Macapá pela nossa equipe. Ele será levado para fazer exames na Politec e depois segue para o Iapen. Ele é considerado de alta periculosidade”, explicou Torrinha 

De acordo com os investigadores, ainda em Santarém, Cleber informou à Polícia o local onde estava escondida a arma do sargento e a arma que teria usado no crime que vitimou o policial. A Polícia Civil recebeu a informação da polícia do Pará e foi até o endereço indicado. As armas foram encontradas em uma área de ponte. Uma das armas era a pistola ponto 40, do policial. A outra era uma arma caseira usado pelo acusad. 

Segundo Jurandir Bentes, delegado adjunto da 1ª DP de Santana, que comandou a investigação e conduziu o preso até Macapá. Cleber Pantoja de Lima confessou ter mato o sargento, ele foi ouvido ainda na cidade de Santarém. “Ele foi interrogado ainda em Santarém e confessou o crime. Ele foi o autor do disparo que tirou a vida do policial, após atirar no sargento ele subtraiu a arma do mesmo, logo depois fugiu para Santarém, mas foi preso. Isso é um caso típico de latrocínio”, concluiu.

No crime, o sargento Agenildo Junior teria ido até uma área de pontes tentar resgatar um irmão usuário de drogas. O local era uma boca de fumo. Em meio a uma confusão, o policial foi atingido com um tiro e espancado à pauladas, ficando gravemente ferido. Além disso, ele teve a arma roubada. O sargento foi socorrido, mas morreu no Hospital.

 

Notícias em destaques

A Delegada Geral de Polícia Civil Maria de Lourdes Sousa, e em nome dos servidores da Polícia Civil do Estado do Amapá, vem a público manifestar o mais profundo pesar pela morte do sargento da Policia Militar Hudson Conrado da Silva, presta condolências aos familiares e amigos enlutados pela irreparável perda ocorrida.

Maria de Lourdes Sousa
Delegada Geral de Polícia Civi

Enquete

Qual o curso que você, policial, entende ser nescessário para aprimoramento profissional?