Início Delegacia Geral ASCOM

Servidor é preso acusado por furtar notebooks na Secretária de Administração

E-mail Imprimir PDF

O serviço de inteligência da Polícia Civil do Amapá e da Secretaria de Estado da Justiça Segurança Pública (Sejusp), levou à prisão em flagrante de um servidor público, de 54 anos, acusado de ter furtado três notebooks da Secretaria de Estado da Administração (Sead). O fato ocorreu na manhã desta sexta-feira, 14.

Segundo o delegado Uberlândio Gomes, responsável pela investigação, a Polícia Civil recebeu denúncia de que estava havendo furto de computadores dentro da Secretaria de Estado da Administração. Diante das informações, foi constato que se tratava de um servidor que trabalhava como vigilante. Ele já tinha levado dois notebooks há duas semanas. O homem foi preso em flagrante em uma parada de ônibus. Com ele, a polícia apreendeu o terceiro equipamento. 

“Tínhamos informações de que se tratava de um servidor que tinha livre acesso ao local. Diante disso, fizemos o monitoramento deste servidor e hoje pela manhã, ao largar o serviço, ele pegou mais um notbook e apreendeu fuga. Momentos depois, ele foi localizado e surpreendido por policias em uma parada de ônibus, onde recebeu voz de prisão”, contou o delegado

Durante o depoimento, o servidor de 54 anos, disse estar arrependido pelo crime que cometeu. Ele confessou ter subtraído os três notebooks da secretaria, e alegou ter praticado o ato por ser usuário de álcool, e que iria vender os aparelhos para comprar bebida alcoólica. O sistema de monitoramento interno do órgão mostra momento em que, o servidor leva um dos notebooks. Um dos computadores foi encontrado na residência do genro do acusado, que também foi apresentado na delegacia. 

O delegado informou ainda que o servidor público responderá pelo crime de peculato, cuja a pena é alta, e se for condenado poderá ser expulso do serviço público. O genro dele também responderá pelo crime de receptação de produtos ilícitos. Os dois estão detidos e serão encaminhados à audiência de custodia, que poderão obter liberdade provisória ou não.

 

Notícias em destaques

A DEMA realizou, no dia 18.04.2017, no Rio Araguari, município de Porto Grande, uma operação de repressão a diversos crimes ambientais, entre os quais desmatamentos, queimadas e ocupações ilegais em APP.

Leia mais...

Enquete

Qual o curso que você, policial, entende ser nescessário para aprimoramento profissional?